26 dezembro 2011

O amor não tem medo da distancia. Cap. l


Hoje te vendo do meu lado, ouvindo você me chamar de: Meu amor, vejo o quanto valeu apena tudo que passei até chegar aqui... Saber que hoje eu sou o motivo da sua felicidade assim como você é da minha, as sextas-feiras que desso para o litoral para ficar o fim de semana com você... Ou quando você vem para cidade para ficar comigo, engraçado jamais imaginei que um amor sobreviveria a tanta distancia, hoje já não importa mas em que casa estamos se é na minha ou na sua, desde que estejamos juntos já se faz 5 meses que estamos vivendo assim nesse desce serra, sob serra, mas para nós não importa,  porque vale quando eu fico mais de uma hora e meia na estrada até chegar na sua casa, pois quando eu toco a campainha e você atende com um sorriso enorme, um abraço forte e um beijo, e foi desse jeito que você me recebeu hoje... retribui e por ultimo eu disse:
- Que saudade amor...
Você sorrio.
Ao entrar na sua casa percebo o quando eu me apaixonei não só por você mas tudo que é relacionado a você, cheiro de casa limpa mesmo sabendo que não tinha sido você que a deixava daquele jeito, mas era o cheiro da sua casa... Você pegou as minha malas das minhas mãos e disse:
-Amor... Não acredito você vai morar aqui, e nem me avisou?
E sorrindo.
- Besta, é tudo que eu preciso, para passar um final de semana, serio não sei como você ainda não se acostou...
Ele retrucou.
- Pensei que ao passar do finais de semanas as malas iam ficando menores, pois já tem coisas suas aqui esqueceu?
- Não... Mas isso ai também necessito.
Ele balançou a cabeça  e disse
- Amo você!
Essa palavra sem hora me deixou tão feliz que não me controlei e fui ao encontro dos braços dele, ele soutou as minhas malas e me beijou, eu passando as mãos pelos fios de cabelos dele. Fomos andando nos beijando a té chegar no sofá ele se deitou no sofá e logo em seguida subi em cima dele, dei um sorriso natural e retribui e nos beijamos por um longo momento até que soutei-me dos lábios dele. E disse:
- Como é bom estar aqui com você
- Muito bom ter você aqui, agora me beija?
Obedeci o pedido dele, e novamente nos beijamos, estava começando esquentar, quando ele tentou  tirara a blusinha que eu estava vestindo, logo parei o beijo. E ele olhou para mim meio que bravo mas já espera essa minha reação e me perguntou:
- Por que isso, agora?
Desviei o meu olhar...
- Você sabe que eu não estou preparada
Era muito estranho dizer isso, ainda mais assim negando ele, eu sentia vontade mas tinha medo, e sabendo que eu corria o risco de perde ele para outro alguém.
Ele percebeu o que eu estava sentindo, pegou o meu rosto e colocou em direção dos olhos dele, dizendo:
- Amor, me desculpa? Só quero que você saiba que eu te amo e vou te respeitar sempre, e vou te esperar, não quero te força a nada.
- Não amor esta tudo bem,  para falar a verdade eu que tenho que me desculpar, não deve estar sendo nada fácil para você ter que me esperar... Eu confio em você, mas ainda não estou preparada.
Ele sorriu, 
- O minha princesa eu te amo tanto, para quem esperou 5 meses pode esperar mais... Só peço que você confie em mim de verdade eu não vou fazer nada que você não queira e não tenha medo de mim viu?
Ao terminar a ultima frase ele sorriu.
- Eu te amo. Não tenho medo de você para falar a verdade, eu não sei o que acontece, eu devo ser a unica menina de 18 anos do mundo que ainda não teve relações... E tenho medo de te perder por causa disso.
- Esse seu jeito que me conquistou você não é igual as outas, você me faz querer te esperar, eu vou te esperar, ok?
Uma lagrima desceu pelo meus rosto. logo em segui respirei fundo para não soltar mais nenhuma, ele me fazia bem até quando estava magoado comigo, apesar dele ser  diferente dos outros eu sabia que ele estava querendo aquilo mais que "tudo".
-Não chora, ta tudo bem viu?
Ele disse ao me abraçar, ficamos ali preços por um bom tempo, até que ele disse:
-O que vamos fazer hoje?
- Não sei, a viajem me deu fome.
- Estava demorando para o seu estomago dar o ar da graça
Sorrimos, ele levantou e pegou as malas que estavam jogadas na porta  e levou-as para o quarto dele, e seguida levantei e olhei para janela  vendo as ondas do mar da forma em que elas se formavam, fiquei em pensamento me chamando de tonta por que não fiz o que ele queria?
levei um susto quando escutei a voz dele me chamando.
- Eduarda?
- Tô aqui
Ele venho por trás me envolvendo em seus braços e juntos ficamos olhando o que se passava por fora da janela.

Continua....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não esqueça de comentar ficarei muito feliz em saber sua opinião sobre o post .Seu comentário é muito importante!
Deixe o link do seu blog aqui para que eu possa visitar ok?

Twitter @MaahTrendy
Snap: Maahtrendy
Pagina: Quase Invisivel

Tecnologia do Blogger.
Desenvolvimento por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo